segunda-feira, 23 de abril de 2012

CHARLES CHAPLIN

Quem foi Charles Chaplin?


Sir Charles Spencer Chaplin nasceu em 16 de abril de 1889, em Londres. Foi ator, diretor, produtor, comediante, dançarino, roteirista, músico e um exímio jogador de xadrez. Não ficou famoso pelas palavras que disse, mas sim pelos gestos que fez rir, chorar e divertir milhões de plateias. Sem dúvida, foi o maior ícone do cinema mudo mundial e da comédia pastelão.
Acima de tudo foi um investidor da sétima arte. Charles Chaplin atuou, dirigiu, produziu e financiou seus próprios filmes. Fez do seu sonho, a realidade de muitos. Teve uma das mais belas carreiras da história do cinema, ficando na ativa durante mais de 75 anos, até a sua morte em 1977, aos 88 anos.
Seu primeiro filme foi Making a Living, dirigido e escrito por Mark Sennett. O curta-metragem conta a história de Slicker, um um falso aristocrata inglês que vai trabalhar como repórter e se envolve com o roubo de uma câmera fotogrática com negativos de uma reportagem sensacionalista.
Viveu de seu trabalho durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Chaplin deu a um público tão dilacerado pelas guerras, um motivo para sorrir. Ninguém mais conseguiu levar tanto entretenimento, prazer e alívio na hora que mais precisavam do que as comédias com Carlitos.
Toda essa contribuição ao cinema faz com que Charles Chaplin seja lembrado ainda hoje como um dos maiores atores do mundo.

Carlitos

Chaplin é um daqueles casos em que a obra transcende o ator. Muitos confundem Charles Chaplin com Carlitos (The Tramp), como ficou conhecido por aqui, o andarilho pobretão que se veste com um fraque preto esgarçado, calças e sapatos desgastados e largos, chapeu de coco ou cartola, uma bengala de bambu e um pequeno bigode-de-broxa.
A primeira aparição do andarilho que imortalizou Chaplin foi na película Kid Auto Races at Venice, lançado em 1914. Antes disso, o ator já havia criado o visual do personagem para o filme Mabel’s Strange Predicament, que teve seu lançamento dois dias depois.
Em seus filmes, Carlitos atacava agressivamente seus inimigos com chutes e tijolos. O público da época aceitou muito bem este novo comediante, apesar dos críticos alertarem que as travessuras do personagem beiravam a vulgaridade. Com o sucesso, Chaplin investiu na carreira de direção e edição de seus próprios filmes. Durante o primeiro ano, ele fez 34 curtas-metragens e o longa-metragem Tillie’s Punctured Romance para o estúdio Keystone Film Company.
A partir de 1916, Chaplin começa a trabalhar para a Mutual Film Corporation. Este é considerado o melhor período da obra do ator e diretor. Em 18 meses, foram produzidos 12 filmes que se tornaram as comédias mais influentes do cinema. Easy Street, One A.M., The Pawnshop e The Adventurer são desta fase.
Já na First National, Chaplin investiu em seus projetos em longas-metragens e lançou Shoulder Arms (1918), The Pilgrim (1923) e o clássico O Garoto (1921).




São Jorge

:: Santo guerreiro; Padroeiro da Inglaterra, Portugal, Lituânia e Geórgia

:: Data de comemoração: 23 de Abril



Em torno do século III D.C., quando Diocleciano era imperador de Roma, havia nos domínios do seu vasto Império um jovem soldado chamado Jorge. Filho de pais cristãos, Jorge aprendeu desde a sua infância a temer a Deus e a crer em Jesus como seu salvador pessoal.

Nascido na antiga Capadócia, região que atualmente pertence à Turquia, Jorge mudou-se para a Palestina com sua mãe após a morte de seu pai. Lá foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade - qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde. Com a idade de 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo altas funções.
Por essa época, o imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos. No dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses.
Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo como Senhor e salvador dos homens. Indagado por um cônsul sobre a origem desta ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da VERDADE. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: "O QUE É A VERDADE ?". Jorge respondeu: "A verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e nele confiado me pus no meio de vós para dar testemunho da verdade."
Como São Jorge mantinha-se fiel a Jesus, o Imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Jorge sempre respondia: "Não, imperador ! Eu sou servo de um Deus vivo ! Somente a Ele eu temerei e adorarei". E Deus, verdadeiramente, honrou a fé de seu servo Jorge, de modo que muitas pessoas passaram a crer e confiar em Jesus por intermédio da pregação daquele jovem soldado romano. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito em seu plano macabro, mandou degolar o jovem e fiel servo de Jesus no dia 23 de abril de 303.
A devoção a São Jorge rapidamente tornou-se popular. Seu culto se espalhou pelo Oriente e, por ocasião das Cruzadas, teve grande penetração no Ocidente.
Verdadeiro guerreiro da fé, São Jorge venceu contra Satanás terríveis batalhas, por isso sua imagem mais conhecida é dele montado num cavalo branco, vencendo um grande dragão. Com seu testemunho, este grande santo nos convida a seguirmos Jesus sem renunciar o bom combate.