sexta-feira, 11 de março de 2011

ANIVERSÁRIO DE SANTA INÊS


ANIVERSÁRIO DE SANTA INÊS SERÁ CELEBRADO COM SHOW E POESIA

Mais de 20 artistas entre músicos, atores, poetas e escritores estarão presenteando Santa Inês nesta segunda-feira (14), aniversário de 44 anos. A comemoração será no Melos’bar, a parti das 20h na rua do mercado municipal em frente ao posto Balbino, com uma programação pensada para todas as gerações santanesense. Já confirmada a presença dos cantores; Daffé, Chico mirim, Luis Carlos Dias, Jojó, Treze treze e dos poetas: Luis Henrique lançando o seu livro (Diversos), Paulo Rodrigues, Grupo pé do ouvido.
Conhecida primitivamente como “Ponta da Linha”, por estar localizada, em 1884, no final da via férrea construída pela Companhia Progresso Agrícola para percorrer as plantações de cana-de-açúcar que abasteciam o Engenho Central, em Pindaré-Mirim, Santa Inês deve sua origem a esse importante empreendimento agroindustrial.
Santa Inês que antes teve vários nomes, no inicio povoado chamado de ponta da linha devido ao trem carregava a cana para o engenho de Pindaré-mirim que na época Santa Inês era município de Pindaré. Após ponta da linha, recebeu o novo nome de Conceição, nome dado pelos próprios moradores do povoado, e mais em breve a Esposa de Erico Galvão Deputado estadual, estava no meio de uma gravidez complicada resolveu fazer uma promessa, que caso ocorresse tudo bem com sua gravidez, ela traria a estatua da Santa Inês para a capela de do povoando que hoje é a igreja Matriz. E assim foi feito, ocorreu tudo bem, então com o passar do tempo o povoado que chamado de Conceição, recebe o nome de Santa Inês tornando-se cidade e deixou de ser município de Pindaré.
A rua do comércio, antes chamada de rua da boiada, era o caminho percorrido pelas carroças de bois que carregavam as canas-de-açúcar para o engenho situado em Pindaré, este devido o engenho central, foi uma das primeiras cidades do Maranhão a receber luz elétrica. A energia era fornecida por um motor situado na Praça da Saudade que antes era um vila de cabarés (casas de prostituição).
• Rita Corrrea Rocha Carlos – uma das primeiras moradoras de Santa Inês. Primeira professora de corte costura e flores.
• Josué Diniz Alves – primeiro prefeito interventor de Santa Inês – Pai de dr Ribamar Alves
• Primeiro Hospital – Hospital Dr. Bringel – localizado a Rua da Capoeira – conhecido com climédica de Dr Henry, que foi assassinado por ciúmes passionais.
Com o encerramento das atividades produtivas do Engenho Central ,por volta de 1910, a população de “Ponta da Linha” passou a dedicar-se à cultura de algodão, arroz, milho e mandioca, porém continuou dependendo de Pindaré-Mirim, a quem era subordinado administrativamente e por onde sua produção era escoada. Muito procurado por famílias nordestinas, que constituem atualmente, com seus descendentes, mais da metade da população local, o povoado cresceu rapidamente, a ponto de, no início da década de 60, tornar-se mais importante, em termos demográficos e econômicos, do que a sede do município a que pertencia.
A 14 de março de 1967, o antigo povoado de “Ponta da Linha”, já então conhecido como Santa Inês, conquistou sua autonomia. Beneficiado pela passagem da BR-222 e da Estrada de Ferro Carajás em sua sede, o município de Santa Inês é atualmente um dos mais importantes do Estado, tanto pela força de seu comércio e de sua agricultura como pela instalação, em seu território, de um distrito industrial que abriu largas perspectivas para seu desenvolvimento

SHOW NA AABB - HAPPY HOUR